10 Myths About Introverts (Portuguese Translation)

10 Myths About Introverts

10 Myths About Introverts (Portuguese Translation)

10 mitos sobre introvertidos
Por Carl King

Eu escrevi essa lista no final de 2008. Por volta daquele tempo, tive sorte o suficiente para descobrir um livro chamado The Introvert Advantage: How To Thrive in an Extroverted World [A vantagem do introvertido: como prosperar num mundo extrovertido], de Marti Laney, doutor em Psicologia. Era como se alguém tivesse escrito um verbete de enciclopédia sobre uma raça rara de pessoas à qual eu pertenço. Não apenas tinha explicado muitas das minhas excentricidades, mas me ajudou a redefinir minha vida toda num contexto novo e produtivo.

Com certeza, qualquer um que me conhece diria: “Dã! Por que demorou tanto para você perceber que você é introvertido?” Não é tão simples. O problema é que rotular alguém como introvertido é uma avaliação muito superficial, cheia de concepções equivocadas comuns. É mais complexo que isso.

Uma seção do livro de Laney (página 71 a página 75) mapeia o cérebro humano e explica como os neurotransmissores seguem padrões dominantes diferentes nos sistemas nervosos de introvertidos e extrovertidos. Se a ciência por trás do livro estiver correta, verifica-se que introvertidos são pessoas muito sensíveis a dopamina, então estímulo externo demais os exaure e causa uma overdose para eles. Inversamente, extrovertidos não se cansam de dopamina, e eles precisam de adrenalina para que seus cérebros a produzam. Extrovertidos também têm vias neurais mais curtas e menor fluxo de sangue para o cérebro. As mensagens do sistema nervoso de um extrovertido majoritariamente contornam a área de Broca no lóbulo frontal, onde grande parte da contemplação acontece.

Infelizmente, segundo o livro, apenas por volta de 25% das pessoas são introvertidos. Há ainda menos tão extremos quanto eu. Isso leva a muitos desentendimentos, já que a sociedade não tem muita experiência com meu povo. (Eu adoro poder dizer isso).

Então aqui estão alguns equívocos comuns sobre introvertidos (não tirados diretamente do livro, mas baseados na minha própria experiência de vida):

Mito #1 – Introvertidos não gostam de falar.
Isso não é verdade. Introvertidos simplesmente não falam a não ser que tenham algo a dizer. Eles odeiam conversa fiada. Faça um introvertido falar de algo sobre o que tenha interesse, e não vai calar a boca por dias.

Mito #2 – Introvertidos são tímidos.
Timidez não tem nada a ver com ser um introvertido. Introvertidos não necessariamente têm medo de pessoas. O que eles precisam é de uma razão para interagir. Não interagem apenas por interagir. Se você quer falar com um introvertido, simplesmente comece a falar. Não se preocupe com ser educado.

Mito #3 – Introvertidos são rudes.
Introvertidos muitas vezes não veem uma razão para usar de rodeios com agrados sociais. Eles querem que todos apenas sejam reais e honestos. Infelizmente, isso não é aceitável na maioria dos cenários, por isso introvertidos podem sentir muita pressão para se encaixarem, o que acham exaustivo.

Mito #4 – Introvertidos não gostam de pessoas.
Pelo contrário, introvertidos valorizam intensamente os poucos amigos que têm. Podem contar seus amigos próximos em uma mão. Se você é sortudo o suficiente para um introvertido o considerar um amigo, você provavelmente tem um aliado leal para a vida toda. Uma vez que você ganhou seu respeito como sendo uma pessoa de consistência, você está dentro.

Mito #5 – Introvertidos não gostam de sair em público.
Bobagem. Introvertidos simplesmente não gostam de sair em público POR MUITO TEMPO. Também gostam de evitar as complicações que estão envolvidas em atividades públicas. Absorvem informações e experiências muito rápido, e, como resultado, não precisam ficar por muito tempo para “pegar” as coisas. Estão prontos para ir para casa, recarregar, e processar tudo. Na verdade, recarregar é absolutamente crucial para introvertidos.

Mito #6 – Introvertidos sempre querem ficar sozinhos.
Introvertidos ficam perfeitamente confortáveis com os próprios pensamentos. Pensam muito. Sonham acordados. Gostam de ter problemas nos quais trabalhar, quebra-cabeças para resolver. Mas também podem ficar incrivelmente solitários se não têm ninguém com quem compartilhar suas descobertas. Necessitam de uma conexão autêntica e sincera com UMA PESSOA por vez.

Mito #7 – Introvertidos são esquisitos.
Introvertidos são muitas vezes individualistas. Não seguem a multidão. Preferem ser valorizados por seus novos jeitos de viver. Pensam por si mesmos e por isso muitas vezes desafiam a regra. Não tomam a maioria das decisões baseadas no que é popular ou está na moda.

Mito #8 – Introvertidos são nerds indiferentes.
Introvertidos são pessoas que primariamente olham para dentro, prestando muita atenção em seus pensamentos e emoções. Não é que sejam incapazes de prestar atenção no que está acontecendo ao seu redor, é só que seu mundo interior é muito mais estimulante e gratificante para eles.

Mito #9 – Introvertidos não sabem relaxar e se divertir.
Introvertidos tipicamente relaxam em casa ou na natureza, não em lugares públicos movimentados. Introvertidos não são caçadores de aventuras ou viciados em adrenalina. Se tem muita conversa e barulho rolando, eles travam. Seus cérebros são muito sensíveis ao neurotransmissor chamado dopamina. Introvertidos e extrovertidos têm vias neurais dominantes diferentes. Pode pesquisar.

Mito #10 – Introvertidos podem se consertar e virar extrovertidos.
Um mundo sem introvertidos seria um mundo com poucos cientistas, músicos, artistas, poetas, cineastas, médicos, matemáticos, escritores e filósofos. Dito isso, há ainda muitas técnicas que um extrovertido pode aprender para interagir com introvertidos. (Sim, eu inverti os dois termos de propósito para mostrar o quanto nossa sociedade é tendenciosa). Introvertidos não conseguem “se consertar” e merecem respeito por seu temperamento natural e contribuição para a raça humana. Na verdade, um estudo (Silverman, 1986) mostrou que a porcentagem de introvertidos aumenta com o QI.

“Você não pode escapar de nós, e mudar-nos levaria ao seu fim.” <- Eu inventei isso. Sou roteirista. Pode ser terrivelmente destruidor para um introvertido ter que negar a si mesmo para se dar bem num mundo onde os extrovertidos são dominantes. Como outras minorias, introvertidos podem acabar odiando a si mesmos e a outros por causa das diferenças. Se você acha que é um introvertido, eu recomendo que pesquise o tópico e procure outros introvertidos para comparar as conclusões. O fardo não é totalmente dos introvertidos para tentar ficar "normais". Extrovertidos precisam nos reconhecer e respeitar, e nós também precisamos nos respeitar. Digam-me suas opiniões. -Carl. (Translation by Nina Prado)

Leave a Reply